segunda-feira, 9 de abril de 2018

Meu primeiro drama coreano: Oh My Ghost



Sinopse: Possuída pelo espirito de uma virgem sedutora, a tímida assistente de um chef de cozinha passa a ser notada por ele.

Exibição na TV: julho a agosto de 2015.

Gênero: Drama Coreano.

Nacionalidade: Coreano.

Onde assistir: Netflix.

A história deste “dorama” começa de forma bem inusitada: homens sendo levados à emergência de um hospital com os mesmos sintomas. Os médicos suspeitando de ebola, ataques cardíacos, quando na verdade a culpa é unicamente de um fantasma virgem, que possui mulheres bonitas para tentar ir para cama com os homens.

Soon–ae (Kim Seul Gi) é uma jovem virgem, que após sua morte seu espírito fica a perambular pela Terra sem qualquer lembrança de como morreu. Certa de que não foi para o céu devido ao seu ressentimento em nunca ter transado, a garota transforma sua existência fantasmagórica em uma engraçada caça ao homem que irá lhe libertar desse sentimento e deixá-la ir ficar em paz.
Contudo, sua caçada acaba sendo atrapalhada por uma xamã, que Soon–ae tenta fugir e para não ser pega ela acaba possuindo o corpo de uma simples assistente de um chef de cozinha famoso.

Bong-Su (à esquerda) e Soon-ae (à direita).

Na Bong-Sun (Park Bo-young) é uma tímida garota, que após começar a trabalhar como assistente de Sun-Woo Kang, um famoso chef de cozinha, ela se apaixona por ele. O único problema é que a garota além de mal consegue encará-lo nos olhos, ela quase não tem voz - nos primeiros episódios -.  e vive pedindo desculpas por tudo. O comportamento de Bong, por sua vez, no inicio causa um certo desconforto e irritação em Sun-Woo Kang, o que ocasiona em uma repreensão pesada aos serviços que sua assistente faz e na demisão da própria.

Após se demitir, a assistente sai vagando pela cidade, quando acaba sendo possuída por Soon–ae. Com o espírito de uma virgem no corpo, Bong retorna ao trabalho e tanto os colegas quanto o chef percebem de imediato a mudança de personalidade repentina.

É nesse instante que a comédia começa, literalmente, logo que Soon-ae coloca na cabeça que tem que seduzir Sun–Woo Kang (Jo Jung Suk). Mas Bong-Sun tenta resistir a possessão, quando percebe o que aconteceu. Contudo, esperta toda,a fantasminha propõe a outra garota que a deixe usar o seu corpo em troca o chef será dela, quando os problemas de Soon forem resolvidos.

Park Bo-Young (à esquerda) e Jo Jung Suk (à direita).

Durante o drama os três personagens principais se envolvem em um triângulo amoroso inesperado, acidental e muito engraçado. E química entre os atores me fez entrar em um dilema com os personagens! De repente, eu me vi torcendo para que a Soon–ae não fosse para o céu e continuasse possuindo o corpo da Bong–Sun, para que de certa forma, as duas tivessem um final feliz com o “chef”. Mas nem sempre as coisas são como queremos!

Oh My Ghost foi o primeiro drama coreano que eu assisti no Netflix e ele conquistou minha atenção de imediato por ter uma pegada engraçada e romântica, mas ao mesmo tempo cheio de mistérios bem amarrados entre si. Os acontecimentos que geraram a morte de Soon-ae estão bem mais presentes na vida dos outros personagens do que nós esperamos quando começamos a assistir ao dorama e as mudanças que vamos vendo nos personagens ao longo da narrativa é sensacional.

Pode preparar o lencinho, porque o final é emocionante!!!

Choque de Culturas:

Assistir “Oh my ghost” foi ter um choque de culturas entre os estilos de séries que costumo assistir:

❤ Por só ter como opção de áudio a língua original deles, os primeiros episódios foram bem complicados de eu me acostumar a escutar os atores falando coreano, ler a todas as legendas em português, pois nas minhas séries americanas apesar de eu deixar as legendas, eu pouco as leio.
❤ O gênero e a duração da “série” me deixaram apreensiva quando comecei, mas no decorrer da história, meu Deus, eu nunca tinha assistido uma “série” de comédia-romântica tão natural, fofa de 16 episódios com duração de uma hora, que terminasse com um final feliz na primeira temporada e não brincasse com o psicológico dos fãs. Infelizmente, as séries americanas tem esse defeito, eles criam empecilhos para o casal não fiquem juntos e, assim, prendem os fãs as intermináveis temporadas.
❤ O comportamento/relacionamento dos personagens foi algo que me deixou com um ranço no inicio, mas depois com muito custo, eu tentei entender que o lance era cultural, mas ainda assim, não me conformo com alguns momentos de frieza e etiqueta exagerada – a meu ver.
Não teve beijão, apenas beijos fofos e memoráveis!


❤ Os efeitos especiais me surpreenderam nos momentos de maiores tensões. O drama gira em torno de uma história com fantasmas e lá existem os fantasmas bons e os espíritos malignos, e por várias vezes quando um espirito ruim se formava na tela do celular eu tremia de medo devido à perfeição dos efeitos nessas situações. Porém, existiram tão outros momentos, que foram usados os efeitos e eu fiquei “mas por que eles usaram efeitos aqui?”. Por exemplo, a menina corria para os braços do rapaz, eles ia lá e repetiam a cena duas a três vezes para enfatizar. Era engraçado, mas a meu ver, um tanto desnecessário.
 Os flasbacks nos deixam a par dos acontecimentos que levaram a morte de Soon-ae e de como eram alguns personagens no passado, além de trazem certa carga emocional para o dorama.


Espero que tenham gostado!!! 
Nas próximas semanas trarei mais novidades.
Beijinhos,
Maria Clara Vieira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Copyright © 2016 | Base: Sanyt Design |Personalizado por:Valléria Carvalho | voltar ao topo